Articles

Conceitos de Gerenciamento de Projetos (Parte 3)

In Engenharia de Software on 20/09/2011 by flavioaf Marcado: , ,

Olá pessoal, no post anterior sobre conceitos de Gerenciamento de Projetos, falei sobre o que é gerenciar projetos, porque gerenciar e também abordei a Restrição Tripla do Gerenciamento de Projetos, se quiserem, basta consultar as partes 1 e 2 nos links a seguir:

Parte 1: https://flavioaf.wordpress.com/2010/02/15/conceitos-de-gerenciamento-de-projetos-parte-1/

Parte 2: https://flavioaf.wordpress.com/2010/04/07/conceitos-de-gerenciamento-de-projetos-parte-2/

Porém, começamos esta parte com uma pergunta: Por que projetos fracassam?

Bom, acho que todo mundo já viu aquela famosa imagem, muito comum em apresentações e treinamentos sobre Gerenciamento de Projetos, principalmente na área de TI:

Essa imagem ilustra bem a falha no fluxo de comunicação entre os stakeholders de um projeto (cliente, gerente, equipe). Porém, apesar de essa geralmente ser a interpretação da tirinha, não é o único problema ilustrado. Na realidade, essa tirinha ilustra problemas em todas as áreas de conhecimento no Gerenciamento de Projetos, não apenas na comunicação.

Um fato comum em TI é o de que o cliente não tem a menor idéia do que quer. Sim, exatamente isso que você leu. O cliente não sabe o que quer, pois seus principais requisitos só ficam claros durante o uso. Por isso, o cliente da historinha explicou que queria um balanço, quando na verdade queria um pneu pendurado na árvore. Dessa forma, as metas e objetivos do projeto são mal formulados e o escopo fica muito distante do real valor que o projeto poderia agregar ao cliente.

O líder do projeto entende um escopo completamente diferente do que o cliente explicou e passa para o analista de negócios para especificar, e este gera outra interpretação completamente diferente. O analista especifica todo o projeto, com base na informação já errada que recebeu do líder/gerente do projeto e faz tudo isso sem sequer realizar outra reunião com o cliente!!! Depois o analista passa ao técnico que vai desenvolver o projeto, a especificação errada, que foi feita com base em informações inicialmente erradas! E o técnico desenvolve um produto completamente diferente do que o cliente esperava, e por aí o vai o telefone sem fio…

Ou seja, o projeto é tocado com informações insuficientes ou inadequadas! Dessa forma, ocorre uma grande fuga do escopo inicial do projeto, os prazos são mal estimados, os custos são mal estimados… Dessa forma, tudo sai do controle, afinal as métricas estão todas erradas!

Sem contar que o equilíbrio entre planejamento e execução muitas vezes é uma grande dificuldade das equipes de projetos. Destinar pouco tempo ao planejamento é um problema sério, pois não adianta executar um projeto sem minimamente ter uma noção, pelo menos superficial do escopo e dos riscos envolvidos. Mas mais grave ainda é destinar tempo demais ao planejamento, retardando em muito a execução e dando pouca margem ao empirismo. É importante encontrar um equilíbrio, evitando realizar um projeto sem traçar a estratégia necessária, nem sem demorar muito tempo para entregar algo de valor.

Seguem abaixo alguns pontos importantes para obter sucesso:

  • Selecionar corretamente os membros chaves da equipe: É importante montar uma equipe com competências complementares.
  • Desenvolver o comprometimento do time: Uma equipe motivada realiza até o impossível.
  • Fazer estimativas realistas: Seja honesto com seu cliente, estime prazos e custos justos ao escopo do projeto.
  • Se antecipar aos riscos: Prepare planos de ação e contingência para problemas que tem grande probabilidade de ocorrer.
  • Não ter medo de Mudanças de Escopo: Não veja as Mudanças de Escopo como um problema! Alterações no escopo vão ocorrer, principalmente num projeto grande. O mundo muda, o negócio do cliente muda, os requisitos mudam, é natural o escopo mudar também.
  • Priorizar o objetivo final: Ter foco nos objetivos, não nos entregáveis. Isso abre mais nossas possibilidades, nos faz pensar “fora da caixa”.
  • Ter foco nos objetivos do cliente: Tenha foco no objetivo do cliente, não no produto. É para atender aos objetivos dele que você foi contratado.

Para alcançar boa parte desses objetivos, existem as áreas do conhecimento em Gerenciamento de Projetos, que são 9, ilustradas na figura abaixo:

No próximo post, vamos falar sobre Gestão do Escopo!

Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: